E no fim eu sempre acabo me cansando de tudo.
Da rotina, das mesmices, da falta de novidades,
da normalidade, dos sorrisos forçados, das amizades forçadas.
Pessoas que falam demais e que realmente nada tem a acrescentar, muito papo furado, enfim tudo isso se torna tedioso demais para mim.

Você ignorou o que eu sentia.
Fresno (via Drafts)

Não posso ser uma dessas pessoas que ficam sentados falando que pretendem fazer isso e aquilo. Eu vou fazer e pronto. Imaginar o futuro é uma espécie de nostalgia. Passamos a vida inteira no labirinto, perdidos, pensando em como um dia conseguiremos escapar e em como será legal. Imaginar esse futuro é o que nos impulsiona para a frente, mas nunca fazemos nada. Simplesmente usamos o futuro para escapar do presente.

Mas a ilusão,
Quando se desfaz,
Dói no coração de quem sonhou.
Tom Jobim.   (via Drafts)

Talvez eu queira demais. Não só de mim, entende? Dos outros também. Espero que descubram, por trás dos meus disfarces, toda a coisa. Porque as nossas angústias usam máscaras. E eu tenho uma mania de ser valente, dá até medo. O mundo entra na mochila e ela fica mais pesada que rocha. Aí brinco de tartaruga e quero levar tudo dentro. Nem eu me seguro, ora. Não sei porque insisto. Às vezes não dá, tenho que aceitar isso. Não é vergonhoso, nem fraco, é que não dá. Porque não. Mas, você sabe, não aceito essas respostas.
Clarissa Corrêa. (via Drafts)

Talvez meu problema seja esse: sentir afeto demais pelas pessoas.
Capacitar. (via Drafts)

Seu jeito.
Suas manias.
Seus sorrisos.
Você.    (via Drafts)

Lindo é quando alguém escolhe pousar do teu lado podendo voar. Podendo até encontrar outros ninhos, outros caminhos, escolhe ficar.

Sempre me senti deslocada, diferente de todos. Sempre me perguntava o que havia de errado comigo, e até hoje faço isso. Nunca soube ao certo quem eu era, e ainda não sei, estou tão perdida quanto um pequeníssimo pássaro solitário na imensidão do céu cinza. Não pertenço a nada, estou trancada mas não sei onde e nem porque. Sei que eu deveria fazer algo sobre isso, encontrar um caminho, algo que me guie, mas não é tão fácil, ainda mais quando se percebe que o abismo em que nos enfiamos é profundo demais para ser escalado. Estou certa de que preciso sair dessa situação, entretanto, tenho consciência de que perante a minha imensa fraqueza nesse momento, nada pode ser feito, mas sei que tudo seria menos árduo se tivesse ajuda. É isso, o que falta é ajuda, compaixão. Percebo então, que talvez nunca tenha existido algo de errado comigo e sim com os outros que apesar de enxergarem que eu já estava caída muito profundamente em minha cova particular ainda assim continuavam a me soterrar, sem se importar.
Dr4fts.   (via Drafts)

Não é sinal de saúde estar bem adaptado a uma sociedade doente.
Rebeca Macedo

Ela sai do banho e pede uma toalha. Grita, fica impaciente. De repente eu apareço. Ela faz uma cara de que não entendeu e pergunta “Amor, cadê a toalha?”. Sou eu, respondo. Se seca comigo. Ela ri e diz um anda logo, mas fica muda quando eu tiro a roupa. Horário? Eu tinha, ela tinha, quem tinha? Liga o chuveiro de novo, deixa a água bater no corpo e lá vamos nós provar do gosto de cada um. O atraso a gente justifica, a bronca a gente aceita, mas o amor não pode ficar pra mais tarde. Quer dizer, se ela quiser mais tarde tem de novo. Pra quê toalha, né? Deixa essa água no corpo saber que tudo de agora foi pouco.

THEME